sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Aumento de ônibus na surdina é absurdo

Salvador mais uma vez é surpreendida pelo setor de transporte da cidade em sua intersecção com a prefeitura municipal da capital. Sem anúncio prévio como é de se esperar de um poder público transparente, a prefeitura anunciou o reajuste dos ônibus coletivos de R$ 2,20 para R$ 2,30 utilizando a desculpa da necessidade de se repor as perdas destas empresas com o reajuste da inflação.

A medida, na realidade, é apenas mais uma a se somar  aos já costumeiros abusos cometidos por estas empresas em nossa cidade. Só para citar rapidamente: Salvador dispõe de um dos piores transportes públicos do país; no final de semana, pegar ônibus parece teste de paciência; os profissionais são muito mal remunerados e por aí vai.

Sem contar com o maior absurdo dos últimos anos representado pela criação do Salvador Card. Um dos sistemas mais cata-níquel da história deste país, que obriga os usuários de transporte pagarem mais uma tarifa para ir a uma sede recarregar os seus cartões, quando estes poderiam ser recarregados em casas lotéricas, se fosse do interesse da administração do SETPS e do município.

Anunciar o reajuste no dia e, neste mesmo dia, reajustar a tarifa, sem analisar o impacto disto no cotidiano de uma das capitais com pior distribuição de renda é uma tremenda irresponsabilidade. Que o troco não seja dado na catraca, nem no cobrador tão explorado quanto quem pega o ônibus, que venha em resposta nas urnas de outubro.

Um comentário:

Carolina disse...

Quem não quebrou o porquinho, tem até meia noite pra resgatar os R$0,10 que vão faltar pra completar a passagem de amanhã! Parece até brincadeira...